Advogados de insolvência

Endividamento, insolvência e advogados de insolvência

Para quem vai pedir a insolvência pessoal, um advogado especializado em insolvências pessoais é sem dúvida uma mais valia derivado a não só ter mais experiência nestes casos, como é a sua especializada, logo está mais dentro do assunto que um que não seja especializado.

Um bom advogado de insolvências pessoais, antes de avançar com algo ou dar qualquer avaliação, deve sempre ouvir primeiro o clientes e analisar todas as questões inerentes ao insolvente, como por exemplo fazer uma avaliação dos rendimentos do agregado familiar versus despesas que o mesmo tem, para apurar o grau de endividamento e concluir se é viável um plano de pagamentos na insolvência ou se é para avançar com a exoneração do passivo restante.

Para quem está endividado ou insolvente sabe o que custa todos os meses fazer contas à vida para tentar pagar todas as prestações dos créditos e despesas habituais, e claro que é comum não haver dinheiro para tudo, deixando assim muitos de lado algumas prestações de créditos para trás, entrando assim em incumprimentos com as entidades credoras.

Ao entrar em incumprimento e não liquidando a dívida os credores para reaverem o seu dinheiro , mandam penhorar os bens do endividado, que pode ser o seu vencimento, contas bancárias ou outros bens.

De nada aqui pode fazer, porque além de poder contestar a penhora dentro dos prazos legais o credor tem a razão e a lei do lado dele, porém se você avançar para a insolvência pessoal, mas o processo entre em tribunal, nenhum credor lhe poderá penhorar qualquer bem , e mesmo que existam penhoras activas as mesmas são suspensas.

Qual a diferença entre endividado e insolvente?

Quando se está insolvente , certamente está endividado e sem condições monetárias para cumprir com as suas obrigações com os credores, logo é insolvente porque recorreu à insolvência pessoal para resolver o seu problema.

Um endividado, com vários créditos e uma taxa de esforço mensal elevada, pode não estar insolvente, mas com o risco de estar. Quando se está endividado [ vários créditos ] o melhor a fazer caso existam condições para tal, é a reestruturação da sua dívida, e o crédito consolidado pode ser a solução

Eu tenho vários créditos e estou com dificuldade em pagar, o que fazer?

Tal como referimos acima, o ideal é reestruturar as suas dívidas e só existem as seguintes soluções para tal:

Crédito consolidado – Junta todos os créditos num só , beneficiando de um redução total a nível de encargos mensais até 60%

Renegociação – Contatar todos os créditos de forma ao contrato ser renegociado com uma prestação mais leve para si de modo a não entrar em incumprimento.

Ambas as soluções são viáveis, mas muitas vezes para quem tem vários créditos, o melhor é mesmo consolidar os créditos, pois renegociar com todos os credores não é fácil e o processo de consolidação é mais “simples” e prático, pois engloba logo o pagamento a todos os credores.

Eu tenho vários créditos mas tenho o nome sujo no Banco de Portugal, o que fazer?

Consolidação de créditos está praticamente fora de questão devido a ter o nome sujo no Banco de Portugal, são raras as exeções em que as financeiras ou bancos aceitam consolidar os créditos tendo problemas bancários [ alguns na existência de boas garantias bancárias fazem ] por isso se não está em condições de liquidar esse incumprimento , nem prevê que irá conseguir resolver os seus problemas bancários a curto prazo, então o melhor é contatar um advogado especializado em insolvências para que o ajude a resolver a situação, pois você está numa situação de insolvência.

Quais os primeiros passos para tratar da insolvência?

O primeiro é a contratação de um advogado, de preferência especializado em insolvências pessoais. Após marcação de reunião com o seu advogado , leve todos os seus extratos de dívidas de todos os seus empréstimos. Solicite a cada um dos seus credores para que lhe enviem por email ou correio. Nesses extratos irá constar a quantia exata que deve atualmente, assim como os prazos do empréstimo, prestação etc.. tudo isto são informações elementares para que o advogado inicie o seu processo de insolvência singular.

Com este extratos o seu advogado conseguirá avaliar a sua situação e começar a preparar todo o processo da sua insolvência.

Outros fatores vão ser analisados, como os seus bens, rendimentos, agregado familiar, entre outros, pois são fatos importantes a juntar ao processo.

Após o processo dar entrada no tribinal, tal como já referimos acima, todas as penhoras que tenha activas ou submetidas , ficam suspensas, porque nada pode ser penhorado a um insolvente.

Irá ser lhe nomeado um administrador de insolvência, da qual irá ter uma reunião consigo para avaliar toda a sua situação baseado no processo que entrou em tribunal e dar o seu parecer pertante a situação.

Caso tudo siga sem qualquer problema [ que a administradora concorde com a sua situação/ carência de situação económica ] a mesma irá transmitir isso ao Juiz quando todos forem chamados para o processo de insolvência [ são chamados o insolvente, advogado, administradora de insolvência e os credores ].

Deixe uma resposta

(*) Required, Your email will not be published