5 Formas inteligentes de usares a tua poupança

Aprender a Poupar

Já aqui foi abordada a importância de aprender a poupar dinheiro. Neste artigo vou abordar o tema da poupança de uma forma mais direccionada ao que fazer com os 10% do ordenado que pode e deve poupar todos os meses.

Admito que poupar sem ter a noção de onde poderá ser aplicado esse dinheiro que tanto custou a guardar não é tarefa fácil. Existe a  necessidade de saber onde aquele dinheiro pode ser aplicado de forma inteligente para que tenha a motivação necessária para poupar

Vou apenas mencionar 5 formas inteligentes de usar  a sua poupança porque considero ser as mais importantes mas provavelmente existirão outras formas igualmente inteligentes e dignas de constar nesta lista. Se sabe outras formas relevantes, deixe um comentário com as suas opiniões.

Poupar para urgências

Antigamente, as pessoas poupavam para alguma despesa inesperada que acontecesse, geralmente seria para superar as doenças. Nos nossos dias, temos diferentes necessidades e como tal a poupança para urgências ganhou outro rumo.

Além de poupar para superar alguma doença, surgiram necessidades como a reparação do carro ou da casa, comprar aquele electrodoméstico que avariou e que tanta falta faz ou outro imprevisto que seja necessário usar dinheiro para supera-lo, isto porque nos dias de hoje com a atual conjuntura económica, compensa em muitos casos reparar do que comprar novo, o que antes era o inverso.

Ao ter dinheiro na poupança para enfrentare este tipo de situações irá deixar-te certamente mais descansado para qualquer imprevisto que surja. Acredito que os imprevistos são uma das grandes causas para tantas pessoas recorrerem ao crédito pessoal, pagando altas taxas de juro e ficando ainda mas endividados.

Ao poupar para as urgências está a garantir muito menos dores de cabeça para o futuro. Quando uma urgência surgir só vais ter que lamentar o ocorrido, levantar cabeça e seguir em frente porque felizmente vais ter dinheiro para pagar as despesas.

Os seguros de saúde nestes casos também são importantes naturalmente , mas se você tiver um pé de meia de parte poderá ser mais vantajoso para si e claro que ficará mais descansado, pois é uma situação muito complicada, estarmos doentes e incapacitados para trabalhar temporariamente mas as contas sempre a chegarem…

Poupar para enfrentar o desemprego

Um dos grandes problemas do desemprego é conseguir manter o nível de vida enquanto não aparece outro trabalho, e não estou a falar de luxos mas coisas básicas. Alguns dos  maiores experts na área das finanças pessoais afirmam que deve ter na sua poupança cerca de um ano de salário para enfrentar uma situação de desemprego.

Está claro que poupar tanto dinheiro não é fácil e para atingir esse nível leva o seu tempo. O segredo está em definir pequenos objectivos para ire cumprindo sem ficar desmotivado. Comece por poupar até conseguir ter o equivalente a um mês de salário na sua poupança, sendo o próximo objectivo, o equivalente a dois meses de salário até atingir o equivalente a 12 meses de salário. No inicio não será fácil mas tenho a certeza que irá conseguir, só tem que seguir a as regras sem facilitar e os objetivos vão ser cumpridos a médio prazo.

Quando falamos na regra dos 10% é sempre uma mais valia juntar os subsídios de natal e férias, porque só nestes dois períodos dá um grande avança na sua poupança. Estará agora a pensar, mas esse dinheiro provavelmente fará falta quando tiver de férias ou no natal, e acreditamos que sim, mas também sabemos que se preparar estas épocas com antecedência e colocar algum de parte para estes períodos, conseguirá com sucesso aumentar a sua poupança sem descurar a a “qualidade de vida” nestas épocas, nomeadamente nas férias e no natal.

Provavelmente está a pensar que se ficar desempregado tem direito a receber subsídio de desemprego e que deve dar para pagar as contas. Este raciocínio até pode estar certo mas tem algumas condicionantes:

  • Em primeiro lugar, as recentes mudanças na segurança social fizeram com que um recém desempregado apenas receba este subsídio durante 18 meses (metade do tempo atribuído anteriormente) e provavelmente levará a novos cortes.
  • Segundo, são muitas as pessoas que não podem usufruir do subsídio de desemprego como é o caso dos empresários.
  • Em terceiro lugar, não deve depender de ninguém para viver porque nunca se sabe quando as regras mudam.

Por estas razões, penso que esperar que alguém ajude num momento de desemprego (mesmo que seja o governo) não é a atitude mais correta. Poupar para enfrentar o desemprego é lutar pelo futuro e mesmo que tenha direito a receber o subsídio de desemprego, a poupança é bastante importante, porque em época de poucas ofertas de emprego, poderá querer apostar no seu negócio próprio e juntamente com os apoios que existem para desempregados criarem o seu próprio negócio, como é o caso do micro crédito, a sua poupança irá oferecer-lhe mais margem de manobra para se iniciar com o seu próprio negócio se assim o desejar.

Poupar para a reforma

A vida correu-lhe bem e nunca precisou de usar a sua poupança? Óptimo  vamos então usar essas poupanças já a pensar na reforma. Nada melhor do que ter um bom pé de meia quando chega a altura da reforma.

Entenda-se poupar para a reforma como poupar para o momento em que irá deixar de trabalhar. Infelizmente, a vida laboral pode acabar precocemente devido a doença ou acidentes de trabalho, pelo que não deve pensar na reforma como aquele momento em que trabalhou muitos anos e irá usufruir do merecido descanso. Apesar de o governo dar uma pensão em qualquer um destes casos, estas são tão baixas que são muitas as pessoas que mal conseguem sobreviver com elas, e como diz o ditado ” mais vale prevenir do que remediar!”

Se quando deixar de trabalhar, seja por opção própria ou motivos de força maior, e quiser manter o nível de vida que tinha até então, poupar hoje é importante.

Imagino que saiba que as pensões não iram aumentar nos próximos anos (não para valores dignos), o que me leva a querer poupar para essa altura, até porque à medida que os anos passam o sistema das reformas muda constantemente e infelizmente cada vez os valores são mais baixos e maior os anos de trabalho, por isso na nossa opinião, prevenir o seu futuro quando se reformar é umas das ideias mais inteligentes para poupar dinheiro todos os meses.

A ideia de poupar levamos sempre para o pensamento de um esforço elevado e que nos irá privar mensalmente de usufruir de outras coisas, contudo mesmo uma pequena contribuição diária de um euro por exemplo, faz diferença em 30 anos , pois poupará cerca de 11 mil euros, e é mais fácil fazer uma poupança desde cedo, porque custa menos um euro diário durante 30 anos, do que três euros diários durante dez anos.

Poupar para investir

Na minha opinião, de todas as formas de usar o dinheiro da poupança, investir é a melhor opção quando temos a vida bem estruturada financeiramente, falo de casa própria já paga, uma poupança generosa que permite alguns investimentos e ainda guardar algum de parte para algum imprevisto etc.. Isto porque um bom investimento traz sempre lucro quando bem feito, ou seja, mais dinheiro.

Ganhar dinheiro com investimentos requer os seus cuidados, nos dias de hoje onde o investimento está ” na moda” , surgiu com a mesma , investimentos poucos esclarecedores com pessoas mal intencionadas por detrás, da qual prometem mundos e fundos, mas esquecem-se de dizer o que poderá acontecer caso algo corra mal.

Se pretende investir as suas poupanças, fale sempre com profissionais dá área e tente recolher sempre informações sobre o negócio e pessoas envolvidas para avaliar o feedback dos outros.

Poupar para concretizares os teus sonhos

Penso que este último ponto será o mais motivador nos mais jovens para construir a sua poupança. Penso que você, como eu e todas as pessoas no mundo, têm sonhos que gostariam de concretizar, mas que infelizmente tornam-se muito dispendiosos e com o passar dos anos acabamos por dar prioridade a outras coisas, porque ” a idade já não permite” correr certos “riscos”.

Uma poupança desde novo, com o dinheiro que os familiares lhe oferecem, com os primeiros ordenados que recebe mas ainda vive na casa dos Pais ( logo não tem tantas despesas), é uma excelente época para começar a poupar e ter uma poupança bastante generosa aos vinte e poucos anos, que lhe pode permitir no amadurecimento da idade concretizar o seu sonho que tinha. Abrir um negócio? Tirar um curso de especialização sem recorrer ao crédito para estudantes? Entrada para uma casa para usufruir de um bom crédito habitação?

Conclusões

Pode levar algum tempo até perceber como deve dividir a poupança ou até mesmo definir os valores mínimos que deve ter pronto a ser usado para as eventualidades, mas o que mais importa é criar o hábito de poupar e certamente o dinheiro será aplicado um dia quando for necessário.

Deixe uma resposta

(*) Required, Your email will not be published